Vodafone Paredes de Coura – Dia 18

Mais ao lado, o palco Vodafone FM acolhe os portugueses Octapush, vibrantes na sua viagem entre a cultura portuguesa e africana e sons que nos fazem dançar sem parar. Os irmãos trazem a eletrónica a Coura e uma world music que viaja entre o experimentalismo e a inovação. Com os também lusos Cave Story a história conta-se de outra forma. A Coura, trazem o Rock alternativo e um grunge experimental que reabilita a forma como se abraça a música neste género. “West” e “Body of Work” são trabalhos que trazem ao palco Vodafone.Fm para um concerto imperdível. Do outro lado do Atlântico chegam dois nomes: um mais desconhecido do público mas não menos imponente, é Andy Shauf. “The Party”, “Beared of Bad News” e “Darker Days” são melancolia feita canção, em trabalhos do autodidata canadiano. Entre o folk e o pop, há espaço para um experimentalismo revivalista que resgata os dias da nostalgia e transforma a música numa viagem alucinante. Conhecidos do público português e aplaudidos pela crítica, os Moon Duo trazem a densidade do psicadelismo e exploram cada camada das suas composições. O duo californiano, que se formou em 2009, conta já com trabalhos imperativos na sua formação e consolidam-se com “Occult Architecture”, “Shadow of The Sun” e “Escape”.
No palco After Hours é Roosevelt que ingressa neste terceiro dia de festival para trazer a adolescência maturada em canção. Viaja entre a techno, a electrónica e a pop para desconfigurar cada uma das categorias e as explorar de forma crescida e alucinante. É Marius Lauber, o alemão que com apenas 22 anos já singrava nos palcos mais aclamados da eletrónica europeia. Red Axes é o segundo nome confirmado para o After, e assemelham-se a Roosevelt pela partilha de palcos na Europa. Chegam de Israel mas já são conhecidos pelo público europeu, na sua electrónica densa e cativante. Com guitarras e sintetizadores, trazem ao Taboão “Sun my Sweet Sun” ou “1970”.
0

Comentários

Comentários

Leave A Comment

Your email address will not be published.