Vodafone Paredes de Coura – Dia 17 de Agosto

A 17 de Agosto a música expande-se pelos palcos e há mais concertos a acontecer. No palco principal – o Vodafone – passam nomes dignos de pura contemplação.  At The Drive-In são uma das confirmações de peso do Vodafone Paredes de Coura e actuam neste segundo dia de festival, para trazer o rock ao Taboão. Pela primeira vez em Portugal, a banda que conta já com uma extensa carreira, chega do Texas com o novo trabalho, o primeiro desde 2000. O pos-hardcore e o rock estendem os braços a Coura e “Incurably Innocent” ou “Governed by Contagions” são temas que vão estar na setlist do quinteto. A não perder.
Provavelmente a abrir o palco Vodafone neste segundo dia de festival estão os portugueses “You Can’t Win Charlie Brown“. O trio que se multiplicou em dobro, nascido em 2009, traz a Coura o segundo trabalho, mais dançável e rítmico. Com fundações no electrónico alternativo, carimbam o timbre doce na melodia fugaz que os une para um “Marrow” esdrúxulo, sucessor de um explosivo “Diffraction/Refraction”.
Quem também marca presença a 17 de Agosto é Will Toledo, uma jovem promessa que se intitula de Car Seat Headrest. Pela segunda vez em Portugal – depois de uma passagem pelo NOS Primavera Sound em 2016 – Toledo é um “Teen of style” e um compositor nato, merecedor de lugar de destaque no festival. Do bandcamp para a blogosfera, foi pela Matador Records que se emancipou e é com ela que tem andado em tour pelo mundo. É mais um dos concertos obrigatórios desta 25ª edição.
Mais conhecido por Chet Faker, Nick Murphy apoderou-se do seu nome verdadeiro para dar a identidade pretendida ao novo trabalho. Durante dez anos pisou palcos do mundo inteiro sob o pseudónimo de Chet e agora regressa com “Missing Link”. Talvez não esteja assim tanto em falta, porque volta a fundir a soul e a pop com a electrónica num resultado explosivo e um trabalho maduro que projecta Nick para os tops mundiais. De certo que será um dos nomes mais esperados de Coura e espera-se que o Australiano cumpra com exímia perfeição esta espera.
Outro dos obrigatórios é King Krule – o inglês e apenas 22 anos que, com apenas 18, já era considerado, pela BBC, “Sound of the Year”. Archy Ivan Marshall, o verdadeiro nome deste rei, explora a música na versão cantada do hip-hop que se desdobra em estilos e influências múltiplas, para tornar mais denso o seu Bue Train Lines. Com ele, há electrónica e jazz, há trip hop e punk: reagentes para uma mistura incrivelmente bela e admirável. A não perder!
 
No palco secundário –  Vodafone FM – que se inaugura neste segundo dia, passam nomes não menos esdrúxulos. Da lista, fazem parte Nothing, com as suas “Vertigo Flowers” e “Tic Tac Toe”. Do rock americano às origens do grunge, levam-nos ao outro lado do atlântico para provarmos um pouco de trash e viajarmos pelo alternativo actual. “Tired of Tomorrow” é o mais recente trabalho da banda e é em Coura que o vêm apresentar pela primeira vez, ao público português.
Sunflower Bean chegam dos subúrbios criativos de Nova Iorque. Depois de assinarem com os Fat Possum Records nunca mais pararam e a sua viagem tem sido um autêntico campo florido, a deixar sementes de rock pelo mundo fora. Já abriram para DIIV, Best Coas, Wolf Alice e The Vaccines. Somam um reportório curto mas a adolescência das canções fica-lhes tão bem quanto na vida real. É um rock melódico, obscuro e hipnotizante. E assim se espera o concerto no Vodafone Paredes de Coura.
Trazem os blues do Canadá e a isso juntam uma pitada de folk. Os Timber Timbre chegaram com “Demon Host” mas é o seu mais recente trabalho, “Sincerely, Future Pollution” que trazem a Coura. A revolução cantada é acompanhada em padrões de bateria melódica e um teclas sincopadas no ideal de balada alternativa. Há neles um mistério sedutor que o palco Vodafone.Fm vai receber de braços cheios.
Coura não tem uma extensa tradição em hip-hop mas, para completar o alinhamento, o duo HO99O9 é chamado ao palco Vodafone.FM. De New Jersey para Los Angeles, começaram a chamar a atenção das massas ao viajar pelo Hip Hop experimental e o Punk. Resgatando, assim, sonoridades vintage e formas únicas de abordar a música. “Dead Bodies in the Lake” é o trabalho que trazem e que tem juntado cada vez mais fãs à volta do duo.
After Hours faz-se em dose dupla com Marvin & Guy (que são Alessandro Parlatore e Marcello Giordani, um duo de groovy techno) e Jambinai (sul coreanos do K-Pop com uma “Hermitage” de culto).
0

Comentários

Comentários

Leave A Comment

Your email address will not be published.